Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/03/23 às 16h29 - Atualizado em 12/03/24 às 14h44

Um ano do Caminhão da Tecnologia: Quais foram os resultados do projeto itinerante?

COMPARTILHAR

No início de 2022, uma iniciativa demandada pela Secretaria de Ciência e Tecnologia do Distrito Federal (SECTI) e fomentada pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) saiu às ruas do DF para promover a inclusão, a conectividade digital e despertar o interesse de estudantes da educação básica pela pesquisa e pela tecnologia.

O projeto, que faz parte do Programa Desafio DF, foi intitulado como “MOBTECH – Capacitação em estrutura itinerante para promoção da inclusão e da conectividade digital” e carinhosamente apelidado de Caminhão da Tecnologia. Para ele foram destinados R$ 2.700.000,00 de investimento por parte da FAPDF. A executora do projeto foi a Rede Brasileira de Certificação, Pesquisa e Inovação (RBCIP).

Ao longo do ano passado, o projeto passou por 50 escolas e centros de acolhimento no Distrito Federal e conseguiu certificar mais de 7 mil estudantes em cursos de 10 horas semanais presenciais e 20 horas remotas dentro das plataformas virtuais de aprendizagem.

O programa piloto de educação tecnológica é voltado para o ensino de robótica, programação e novas tecnologias, de forma híbrida, combinando um material de aprendizagem virtual com aulas ministradas no espaço físico. Toda a estrutura de aprendizagem conta com equipamentos de ponta, como robôs e impressoras em 3D, embarcados em uma frota de dois caminhões e uma carreta. Ao todo já foram percorridas 19 regiões administrativas do DF.

À época do lançamento do Caminhão da Tecnologia, em janeiro de 2022, o Governador Ibaneis Rocha afirmou que o projeto itinerante seria importante pois seu objetivo era “rodar as escolas, dando qualificação aos estudantes para que eles tenham acesso à comunicação em um mundo cada vez mais tecnológico”. “É estar presente com a tecnologia nas escolas”, acrescentou.

O presidente da RBCIP e coordenador geral do projeto, Marcelo Estrela Fiche, concorda, adicionando que a disponibilização dos espaços em veículos permite a otimização do tempo do estudante, com a redução das despesas de transporte, contribuindo de maneira adequada à inclusão de jovens na educação tecnológica. “O projeto possibilita a vivência das tecnologias e a prática de atividades que demonstram a importância da robótica no cotidiano das pessoas. O público poderá, por exemplo, modular uma bucha de parafuso e assimilar como o domínio das tecnologias pode transformar um produto”.

 

Fase da Pesquisa

Em 2023, iniciou-se a fase de apuração dos resultados, com o objetivo de elaborar sugestões e encaminhamentos para transformar a iniciativa em uma política pública do Distrito Federal. A previsão é de que sejam entrevistados pelo menos 30% dos alunos que receberam o certificado do programa. O processo de entrevista está sendo feito por telefone, com questionário fechado e espaço para comentários abertos.

As análises preliminares indicam que grande parte dos entrevistados teve uma experiência positiva com o projeto e demonstrou interesse em seguir carreiras profissionais em setores ligados à tecnologia. Os temas mais aprendidos durante o curso foram a programação de computadores e os conceitos de engenharia elétrica e eletrônica. A maioria dos alunos se mostrou satisfeita ou muito satisfeita com o projeto e indicou que o Caminhão da Tecnologia expandiu seus olhares para as possibilidades de trabalho dentro da tecnologia e da inovação.

 

Alguns casos de sucesso

Alguns alunos se destacaram ao longo do programa, como é o caso de Giovanna Rocha Carvalho, que relatou ter gostado bastante dos cursos e demonstrou grande interesse na área da tecnologia. Ela está fazendo um curso de computação gráfica em outro projeto do GDF e afirmou que o Caminhão da Tecnologia foi determinante para sua decisão de seguir atuando na área.

Outro aluno que chamou a atenção foi Victor Manoel Alves Pereira, que relatou ter sido aprovado na Universidade de Brasília em um curso da área de tecnologia, seu interesse em seguir carreira na área da engenharia mecatrônica surgiu após contato positivo com o curso ofertado pelo Caminhão da Tecnologia.

Já Eduardo Costa comemorou a contratação em um novo emprego após incluir o projeto Caminhão da Tecnologia em seu currículo. Ele avaliou a inciativa como muito promissora e afirmou ter aprendido bastante sobre programação de computadores.

Esses depoimentos demonstram que o Caminhão da Tecnologia foi bem recebido pelos alunos e despertou grande interesse nos temas ligados à tecnologia. Os relatos demonstram que a iniciativa é uma oportunidade de vida e inclusão digital para os estudantes que puderam participar das aulas ministradas.

 

*Com informações da Rede Brasileira de Certificação, Pesquisa e Inovação e FAPDF.

Fundação de Apoio a Pesquisa do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

FAPDF

Granja do Torto Lote 04, Parque Tecnológico Biotic Cep: 70.636-000