Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/03/23 às 18h24 - Atualizado em 12/03/24 às 14h44

Reitoria da UnB e presidência da FAPDF se reúnem para discutir projetos de 2023

COMPARTILHAR

Aumentar o valor das bolsas financiadas pela FAPDF, recompor o orçamento da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) e aumentar os assentos da Universidade de Brasília (UnB) no Conselho Superior da Fundação foram alguns dos assuntos tratados pela reitora Márcia Abrahão na reunião com o presidente da FAPDF, Marco Antônio Costa Júnior, na sexta-feira (10), na sede da instituição. “Tivemos uma reunião muito amistosa e produtiva, em que pudemos avaliar os projetos que envolvem fomento da FAPDF e traçar nossas ações conjuntas nos próximos anos”, comemorou Márcia Abrahão na saída da reunião.

 

 

Participaram do encontro o vice-presidente da Fundação, Paulo Nicholas Nunes, a decana de Pesquisa e Inovação da UnB, Maria Emília Walter, o diretor de Fomento à Iniciação Científica do Decanato de Pós-Graduação, Sérgio Granemann, a superintendente Científica, Tecnológica e de Inovação da FAPDF, Renata Vianna e o chefe da Procuradoria Jurídica da FAPDF, Andrey Rank.

 

O reajuste das bolsas de pesquisa foi a primeira demanda apresentada pela reitora ao presidente. “Tivemos um reajuste em nível nacional após nove anos. Agora, a comunidade está reivindicando reajuste nos valores das bolsas para equiparação das bolsas concedidas pela Fundação com as anunciadas pelo Governo Federal.”

 

O presidente explicou que o reajuste das bolsas de iniciação científica está em avaliação e ponderou que desde 2022 a FAPDF lançou edital com as bolsas de mestrado e doutorado já mais altas em comparação com o reajuste de 2023 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da CAPES. “Enquanto nossas bolsas estão em R$ 3.700, o CNPq e a CAPES reajustaram para R$ 3.100. No caso de pesquisador doutor, a FAPDF passou para R$ 6.900 e o CNPq e a CAPES, para R$ 5.200 o sênior”, afirmou o presidente.

 

Ainda, a Fundação permite que, para projetos de pesquisa aprovados em editais de anos anteriores, seja enviado pedido de remanejamento financeiro para que o coordenador do projeto possa adequar o valor das bolsas, contanto que não haja alteração no valor total aprovado para o projeto. O mesmo vale para bolsas de iniciação científica e pós-graduação do ano passado “Todos os anos a FAPDF recebeu de volta o valor de bolsas não utilizadas por diversas instituições, este ano estamos permitindo que elas submetam um pedido de remanejamento e usem o valor das bolsas não utilizadas para reajustar o valor das bolsas efetivamente pleiteadas” explica o presidente.

 

 

Outro assunto tratado na reunião foi a recomposição do orçamento da Fundação, que foi de 2% para 0,5% da receita líquida do DF desde 2021. Em fevereiro de 2021, a reitora esteve na Câmara Legislativa do DF para pedir apoio para aumentar o orçamento da FAPDF. “Temos muitos projetos que demandam recursos equivalentes, pelo menos, ao dobro do orçamento atual”, argumentou a reitora.

 

O vice-presidente da Fundação, Paulo Nicholas, sugeriu que o aumento do orçamento seja uma pedido realizado em conjunto com a reestruturação da Fundação, que englobe concurso público, por exemplo, e que depende de aprovação da Câmara Legislativa. Atualmente, a FAPDF conta 50 trabalhadores e “é importante pontuar que hoje nós conseguimos executar o nosso orçamento em sua totalidade.”

 

Em 2019, a UnB perdeu dois dos quatro assentos no Conselho Superior da FAPDF e foi discutido a possibilidade do retorno das vagas “A Universidade sempre teve quatro assentos e consideramos importante retornar ao número porque nossa parceria é intensa.” afirma Márcia Abrahão.

 

Também em pauta, foi a possibilidade de editais com temas específicos e de interesse do DF, como o feminicídio, água e mobilidade urbana, além de editais para compra de equipamentos para laboratórios multiusuários para incentivar mestrados e doutorados para a inovação, como sugeriu Maria Emília Walter “É fundamental para a inovação essa parceria entre o setor produtivo e a academia.”.

 

Já Granemann contou sobre a experiência da UnB TV com a divulgação de trabalhos em linguagem não-acadêmica e sugeriu à FAPDF que apoie programas de divulgação científica nas televisões universitárias, se dispondo a minutar essa proposta. Além disso, o diretor de Fomento à Iniciação Científica ficou responsável por colaborar com a gestão dos Programas Institucionais de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) e de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibiti) juniores, que reúne estudantes de escolas de ensino médio.

Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

FAPDF

Granja do Torto Lote 04, Parque Tecnológico Biotic Cep: 70.636-000