Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/07/20 às 15h50 - Atualizado em 4/08/20 às 12h17

Com apoio da consultoria DF + Produtivo, empresa tem aumento de 52% na produtividade

A empresa Zero Impacto, que opera no processo de logística reversa de resíduos de equipamentos eletroeletrônicos, aumentou a produtividade em 52% e conseguiu reduzir em 85% a movimentação desnecessária dos colaboradores na fábrica. Esse resultado foi obtido após 120 horas da consultoria DF + Produtivo, uma das três oferecidas no programa DF + que é realizado por um convênio entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Distrito Federal (Senai-DF) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do DF (FAP-DF), com apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF (SECTI-DF).

 

O resultado alcançado pelo programa DF + Produtivo na Zero Impacto foi de mais que o dobro da meta, que era de aumentar em 20% a produtividade e reduzir em 20% a movimentação dos trabalhadores no ambiente de produção. O programa foi aplicado em um dos setores empresa, onde é feita a desmontagem de computadores de mesa, chamados desktops. Cada operador conseguia finalizar 72 peças por dia, com uma movimentação excessiva, de 642 passos por processo. Com as mudanças, a produção diária por operador subiu para 110 desktops desmontados e a movimentação caiu para apenas 94 passos por peça. A consultoria apontou também que o estoque era maior que o necessário e que peças tinham que ser transportadas por grandes distâncias dentro da empresa para que a desmontagem fosse finalizada. Pelas falhas de processo, ocorria retrabalho e muitas vezes os funcionários ficavam sem ter o que fazer enquanto aguardavam o trabalho de outros colegas, reduzindo a produtividade e aumentando os custos.

 

“Esse projeto foi importante para nós porque, como toda empresa, o processo produtivo tem alguns gargalos por falta de conhecimento de técnicas que resolvam os problemas. Esses gargalos foram identificados e foram implementadas técnicas que trouxeram uma realidade diferente para nossa operação, minimizando o gasto de tempo no nosso galpão. Trouxe uma mudança que com certeza melhorou muito o nosso processo produtivo”, afirmou Gustavo Noleto, diretor da Zero Impacto.

 

A metodologia aplicada no DF + Produtivo é da manufatura enxuta (lean manufacturing), baseada na redução dos sete tipos de desperdícios mais comuns no processo produtivo: superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário (estoque), movimento e defeitos. A consultoria é realizada por especialistas do Senai-DF e é subsidiada pela FAP-DF, sem custos para o empresário.

 

Os objetivos do programa são identificar oportunidades de melhorias nos processos produtivos das empresas por meio da criação de um fluxo contínuo de valor, sincronização da demanda e tempos de processo, identificação das atividades que agregam valor do ponto de vista do cliente e melhoria contínua. “Além de conseguir esses avanços, também buscamos desenvolver as pessoas. A partir dos treinamentos, a gente espera mesmo que eles passem a ter capacidade e autonomia para continuar implementando as ferramentas ensinadas e os conceitos aprendidos nos outros setores e linhas da empresa”, explicou a consultora do Senai-DF, Isabella Muller.

 

As ferramentas lean manufacturing aplicadas foram 5S, Mudança de Layout, Padronização e Gestão à Vista. Com as mudanças feitas a partir da consultoria DF + Produtivo, foi possível reduzir o custo por desktop desmontado de R$ 0,79 para R$ 0,52, com base no valor da mão de obra e do tempo que o operador demora para executar o serviço, com queda de custos mensais de aproximadamente R$ 1,2 mil. Em um ano, a economia projetada é de mais de R$ 14 mil. “O ganho vai ser bem superior porque esse resultado está focado em um dos setores, mas as mudanças vão ter reflexos em vários outros e, consequentemente, vai ocorrer redução de custos em todos eles”, explicou a consultora do Senai-DF.

 

Inscrições abertas

A Zero Impacto foi a primeira empresa a passar por todos os passos do programa: avaliação de maturidade, envio de proposta e finalização da consultoria do programa DF +. A metodologia é a do Brasil Mais Produtivo, do governo federal, e consiste em intervenções rápidas, de baixo custo e de alto impacto. O DF + Produtivo é um dos três eixos do programa, voltado ao ganho de produtividade. O foco é a redução de desperdícios, como atividades sequenciais desnecessárias, estoque excessivo, má utilização do capital humano e tempo de espera em vão. Cada consultoria leva de três a quatro meses. A adesão é gratuita.

 

“A gente ficou muito grato com o projeto, com o Senai e com o governo DF. O custeio da FAP foi essencial para que tivéssemos essa evolução dentro da empresa, pois nesse momento que vivemos não tínhamos condições de investir na consultoria. Agora, queremos que o programa continue para podermos participar dos outros eixos do DF +”, disse Gustavo, se referindo ao DF + Avançado, que começa a trabalhar a primeira fase da indústria 4.0, com monitoramento de toda a operação em tempo real. Assim como no primeiro programa, a adesão é gratuita, porém, nesse caso, há a necessidade de investimento em software e hardware.

 

Além das consultorias que tratam de aperfeiçoar processos de produção, há o DF + Eficiente, que tem como objetivo melhorar a eficiência no uso de energia.

 

Para participar do DF +, as empresas interessadas precisam fazer uma autoavaliação no portal maturidade.senai40.com.br. Um consultor do Senai-DF entrará em contato para confirmar a adesão ao programa ou detalhar os motivos de ela não poder participar. Para mais informações, envie um e-mail para dfmais.senai@sistemafibra.org.br.

 

Texto: Aline Roriz
Foto: Victor Hugo Pessoa/ Sistema Fibra
Assessoria de Comunicação do Sistema Fibra

A empresa Zero Impacto, que opera no processo de logística reversa de resíduos de equipamentos eletroeletrônicos, aumentou a produtividade em 52% e conseguiu reduzir em 85% a movimentação desnecessária dos colaboradores na fábrica. Esse resultado foi obtido após 120 horas da consultoria DF + Produtivo, uma das três oferecidas no programa DF + que é realizado por um convênio entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Distrito Federal (Senai-DF) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do DF (FAP-DF), com apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF (SECTI-DF).

 

O resultado alcançado pelo programa DF + Produtivo na Zero Impacto foi de mais que o dobro da meta, que era de aumentar em 20% a produtividade e reduzir em 20% a movimentação dos trabalhadores no ambiente de produção. O programa foi aplicado em um dos setores empresa, onde é feita a desmontagem de computadores de mesa, chamados desktops. Cada operador conseguia finalizar 72 peças por dia, com uma movimentação excessiva, de 642 passos por processo. Com as mudanças, a produção diária por operador subiu para 110 desktops desmontados e a movimentação caiu para apenas 94 passos por peça.

 

A consultoria apontou também que o estoque era maior que o necessário e que peças tinham que ser transportadas por grandes distâncias dentro da empresa para que a desmontagem fosse finalizada. Pelas falhas de processo, ocorria retrabalho e muitas vezes os funcionários ficavam sem ter o que fazer enquanto aguardavam o trabalho de outros colegas, reduzindo a produtividade e aumentando os custos.

 

“Esse projeto foi importante para nós porque, como toda empresa, o processo produtivo tem alguns gargalos por falta de conhecimento de técnicas que resolvam os problemas. Esses gargalos foram identificados e foram implementadas técnicas que trouxeram uma realidade diferente para nossa operação, minimizando o gasto de tempo no nosso galpão. Trouxe uma mudança que com certeza melhorou muito o nosso processo produtivo”, afirmou Gustavo Noleto, diretor da Zero Impacto.

 

A metodologia aplicada no DF + Produtivo é da manufatura enxuta (lean manufacturing), baseada na redução dos sete tipos de desperdícios mais comuns no processo produtivo: superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário (estoque), movimento e defeitos. A consultoria é realizada por especialistas do Senai-DF e é subsidiada pela FAP-DF, sem custos para o empresário.

 

Os objetivos do programa são identificar oportunidades de melhorias nos processos produtivos das empresas por meio da criação de um fluxo contínuo de valor, sincronização da demanda e tempos de processo, identificação das atividades que agregam valor do ponto de vista do cliente e melhoria contínua. “Além de conseguir esses avanços, também buscamos desenvolver as pessoas. A partir dos treinamentos, a gente espera mesmo que eles passem a ter capacidade e autonomia para continuar implementando as ferramentas ensinadas e os conceitos aprendidos nos outros setores e linhas da empresa”, explicou a consultora do Senai-DF, Isabella Muller.

 

As ferramentas lean manufacturing aplicadas foram 5S, Mudança de Layout, Padronização e Gestão à Vista. Com as mudanças feitas a partir da consultoria DF + Produtivo, foi possível reduzir o custo por desktop desmontado de R$ 0,79 para R$ 0,52, com base no valor da mão de obra e do tempo que o operador demora para executar o serviço, com queda de custos mensais de aproximadamente R$ 1,2 mil. Em um ano, a economia projetada é de mais de R$ 14 mil. “O ganho vai ser bem superior porque esse resultado está focado em um dos setores, mas as mudanças vão ter reflexos em vários outros e, consequentemente, vai ocorrer redução de custos em todos eles”, explicou a consultora do Senai-DF.

 

Inscrições abertas

A Zero Impacto foi a primeira empresa a passar por todos os passos do programa: avaliação de maturidade, envio de proposta e finalização da consultoria do programa DF +. A metodologia é a do Brasil Mais Produtivo, do governo federal, e consiste em intervenções rápidas, de baixo custo e de alto impacto. O DF + Produtivo é um dos três eixos do programa, voltado ao ganho de produtividade. O foco é a redução de desperdícios, como atividades sequenciais desnecessárias, estoque excessivo, má utilização do capital humano e tempo de espera em vão. Cada consultoria leva de três a quatro meses. A adesão é gratuita.

 

“A gente ficou muito grato com o projeto, com o Senai e com o governo DF. O custeio da FAP foi essencial para que tivéssemos essa evolução dentro da empresa, pois nesse momento que vivemos não tínhamos condições de investir na consultoria. Agora, queremos que o programa continue para podermos participar dos outros eixos do DF +”, disse Gustavo, se referindo ao DF + Avançado, que começa a trabalhar a primeira fase da indústria 4.0, com monitoramento de toda a operação em tempo real. Assim como no primeiro programa, a adesão é gratuita, porém, nesse caso, há a necessidade de investimento em software e hardware.

 

Além das consultorias que tratam de aperfeiçoar processos de produção, há o DF + Eficiente, que tem como objetivo melhorar a eficiência no uso de energia.

 

Para participar do DF +, as empresas interessadas precisam fazer uma autoavaliação no portal maturidade.senai40.com.br. Um consultor do Senai-DF entrará em contato para confirmar a adesão ao programa ou detalhar os motivos de ela não poder participar. Para mais informações, envie um e-mail para dfmais.senai@sistemafibra.org.br.

 

Texto: Aline Roriz
Foto: Victor Hugo Pessoa/ Sistema Fibra
Assessoria de Comunicação do Sistema Fibra

Fundação de Apoio a Pesquisa do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

FAPDF

Granja do Torto Lote 04, Parque Tecnológico Biotic Cep: 70.636-000