Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/10/19 às 17h54 - Atualizado em 1/10/19 às 17h54

Ciência pela água do DF

Nesta segunda-feira (30/9), a Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal (Secti) promoveram o Seminário Águas do DF. Realizado no auditório do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade de Brasília (IB/UnB), o evento teve por objetivo a apresentação de 11 projetos financiados pela FAPDF e em andamento que representam potenciais soluções para a gestão hídrica do DF.

 

A mesa de abertura do seminário contou com a participação do presidente da Fundação, Alexandre Santos; do secretário do Meio Ambiente do Distrito Federal, José Sarney Filho; da presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF), Denise Andrade da Fonseca; da Vice-Diretora do Jardim Botânico de Brasília (JBB), Elaine Palma; do representante da Agência Reguladora de águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa), Gustavo Carvalho; do diretor Adjunto do Jardim Zoológico do DF, José Carlos Lopes; do diretor do IB/UnB, Jaime Santana; do diretor de Operação e Manutenção da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), Carlos Eduardo Borges Pereira.

 

“É um momento muito importante para todos os órgãos do governo do Distrito Federal e estarmos todos nessa mesa é um ato simbólico do comprometimento do nosso governo com a questão da água, que é essencial não apenas para o DF, mas para o país como um todo. Da parte da FAPDF, a nossa missão maior é contribuir com estratégias de fomento que consigam garantir que a pesquisa e todo o desenvolvimento na área de ciência, tecnologia e inovação consiga convergir para o enfrentamento dessa grande questão”, declarou o presidente da FAPDF, Alexandre Santos.

 

Compromisso de todos – O secretário do Meio Ambiente do DF destacou a importância do seminário para encontrar, em parceria com a academia, estratégias para enfrentamento da questão hídrica de interesse coletivo e chamou à responsabilidade todos os setores da sociedade para a garantia do desenvolvimento sustentável e do acesso à água de qualidade. “Hoje, nesse seminário, discutimos adequações do projeto a ser submetido no edital que diz respeito aos interesses coletivos da população brasiliense. Ressalto o direito humano à água, nos termos da Resolução 64.292/2010 da ONU e a necessidade de gerir adequadamente esse precioso recurso para garantir sua disponibilidade em quantidade e qualidade adequadas para os usos diversos. Todos devem tomar parte nas medidas necessárias para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da Agenda 2030, especialmente o ODS 6, que trata de água potável e saneamento. Para isso é importante construirmos mecanismos de participação do conjunto da sociedade na gestão da água e fortalecer os comitês de bacias.  A problemática hídrica impõe falar sobre outra questão urgente: as mudanças no clima. Esse é o maior desafio do nosso século e a gestão de águas depende, em grande medida, de como lidamos com a questão climática e seus efeitos adversos tanto em termo de mitigação, quanto de adaptação. A atuação da FAP será determinante para o encaminhamento do futuro do DF nesse escopo”, afirmou José Sarney Filho.

 

Já a diretora da Emater, apresentou uma demanda urgente a ser considerada pelos projetos de pesquisa. “É uma satisfação participar desse seminário que trata de um tema tão caro a todos nós que é água e as medidas que podemos tomar para garantir esse bem tão precioso. Os nosso técnicos extensionistas da Emater têm atuado com afinco pelo uso e manejo racional da água pelos produtores rurais, garantindo menor desperdício e maior eficácia na irrigação. Desde o início do ano trabalhamos em projetos com esse foco e inclusive eu gostaria de destacar um problema grave que é saneamento rural. Sabemos das dificuldades que a Caesb tem para trazer soluções para a área rural, mas essa é uma questão de saúde pública. Então eu coloco aqui mais esse desafio, pois é preciso investir nessa área com muita urgência. Eventos como esse são importante para promover articulação entre diferentes setores da sociedade e do governo em busca de soluções para a nossa região. Agradeço de maneira especial à FAP por abrir esse encontro e estar sempre preocupada com a resolução dos problemas do DF e pela formação do grupo Águas do DF, do qual temos muito orgulho em fazer parte”, ressaltou Denise Andrade da Fonseca.

 

O diretor de Operação e Manutenção da Caesb, Carlos Eduardo Borges Pereira, parabenizou a Fundação pela iniciativa e afirmou que a Companhia está de portas abertas para parcerias em prol dos recursos hídricos. Já o representante da Adasa, Gustavo Carneiro, destacou a importância das pesquisas na área como forma de direcionamento para a atuação da Agência.

 

Em nome do Jardim Zoológico do DF, o diretor Adjunto José Carlos Lopes congratulou os realizadores do seminário pela iniciativa diante da grave situação da água no Brasil e no mundo. Já a vice-diretora do JBB, Elaine Palma, ratificou a importância do trabalho dos pesquisadores no trabalho de preservação ambiental no Distrito Federal: “nós temos uma das áreas mais representativas de conservação com mais de 3.500 hectares de mata preservada, 25 nascentes, então é de grande importância esse convênio da FAPDF com a universidade que é quem vai nos orientar. Nós temos vários profissionais e precisamos desse trabalho científico e, principalmente, do apoio da Fundação”.

 

Confira os projetos apresentados:

  • “Variações espacial e temporal na vegetação ripária como reguladores da dinâmica trófica em riachos de cabeceira no Cerrado” (Palestrante: José Francisco Gonçalves Júnior);
  • “Água e Origem da Vida”. Projeto: Uma explicação alternativa para o comportamento anômalo da água (Palestrante: Marco Aurélio Alves Barbosa);
  • “Micropoluentes emergentes e o uso da água na Bacia do Paranoá: diagnóstico, identificação de fontes, efeitos tóxicos, métodos de remoção e de detecção in situ” (Palestrante: Fernando Fabriz Sodré);
  • “Estimativa e monitoramento do consumo de água pela agricultura irrigada por meio de imagens de sensoriamento remoto orbitais e Sistemas Aéreos Não Tripulados” (Palestrante: Marina Rolim Bilich Neumann);
  • “Diagnóstico temporal do uso e umidade dos solos do Distrito Federal, para subsidiar gestão sustentável dos recursos hídricos e mitigação da crise hídrica” (Palestrantes: Marilusa Pinto Coelho Lacerda / Jean J. Novais);
  • “Análise instrumentada e computacional de fluuxo saturado e não saturado de água e contaminantes no solo para a modelagem de contaminação urbana” (Palestrantes: André Luís Brasil Cavalcante / Katherin Cano da Costa);
  • “Aplicação de bioindicadores e modelagem ecológica para avaliação da qualidade da água na bacia do lago Descoberto (DF/GO)” (Palestrante: Ricardo Tezini Minoti);
  • “Levantamento e caracterização das nascentes localizadas na unidade hidrográfica do Riacho Fundo” (Palestrantes: Carlos Henrique Eça D’almeida Rocha / Patrícia Valls e Silva);
  • “Estudos para previsão do comportamento de mananciais metropolitanos estratégicos como insumo para a gestão de água e território face às alterações climáticas e à expansão da ocupação urbana” (Palestrante: Sergio Koide);
  • “Rede Edutec-Água: gerenciamento sustentável – saúde, educação e remediação” (Palestrantes: Marcelo Henrique Sousa / Juliano Alexandre Chaker);
  • “Platemirh: Plataforma tecnológica para apoio ao manejo de irrigação e de recursos hídricos em bacias hidrográficas” (Palestrante: Lineu Neiva Rodrigues).

Fundação de Apoio a Pesquisa do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

FAPDF

Granja do Torto Lote 04, Parque Tecnológico Biotic Cep: 70.636-000